A história da Faculdade tem início na década de 60 quando, entendendo o desejo de vários segmentos da sociedade e atendendo as necessidades de um povo emergente, inserido num contexto de profundas transformações, a Prefeitura de Cachoeiro assumiu, em 1965, a responsabilidade histórica de concretizar este desejo: instituiu como Autarquia Municipal a Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim, através da Lei Municipal no 971 de 01/09/1965.

No início tímida, porém com grandes propósitos, a FDCI escreve um novo capítulo na educação do sul do Estado. O ensino superior ganha nova opção. O tempo passa e a Faculdade, pela sua qualidade de ensino, ganha projeção, recebendo alunos oriundos da Capital do Estado, Vitória, do leste de Minas Gerais e de todo o Norte Fluminense.

A década de 70 é marcada pelo reconhecimento da Instituição, através do Decreto Federal no 68.142 de 29/01/71. O ensino fortalece-se.

Na década de 80, com a sua prática educativa voltada para a formação do profissional em leis-bacharel, a FDCI caminha com eficiência, buscando atingir sempre melhores resultados. Como consequência, cresce, a cada ano, o número de inscritos no vestibular, o que forçou encaminhamentos legais para o aumento do número de vagas na Faculdade.

A década de 90 é marcada por grandes transformações. Diante de novas demandas, buscando uma aproximação expressiva aos ideais da Lei de Diretrizes e Bases, que dedicou especial atenção ao ensino superior, a Instituição enfrenta desafios e adequar-se aos novos tempos e as novas exigências.

Em 1995, a FDCI associa-se a EMES (Escola da Magistratura do Estado do Espírito Santo) e dá início a primeira turma de alunos em suas instalações, evitando que egresso do Sul do Estado se desloque para a Capital em busca de aperfeiçoamento.

Posteriormente, em 1997, com o trabalho prestado pela Instituição junto a comunidade, é reconhecida de utilidade pública pela Lei Municipal n° 4.384 de 17/09/97. Neste mesmo ano, integrando graduação e pós-graduação, a Universidade Gama Filho amplia a sua extensão a FDCI, dando início, com sucesso, o curso de Pós Graduação "lato Sensu" na área cível.

O sistema organizacional objetiva atender, o tanto quanto possível, aos interesses dos alunos da graduação. Assim, ainda em 1997, diante da necessidade de acompanhar os alunos mais de perto, concretizando, na prática, a teoria da sala de aula, e cumprindo o seu compromisso ético e social junto a comunidade, a FDCI cria o seu Escritório Modelo. O aluno, ao realizar o Estágio Supervisionado, presta assistência jurídica as pessoas carentes de recursos financeiros, permitindo-lhes acesso a justiça.

O sucesso dos resultados alcançados pelo curso, o destaque e a ascensão de notáveis profissionais na área jurídica em âmbito Estadual e Nacional, egressos da Instituição, legitimaram os propósitos iniciais. Mais uma vez a FDCI consolida-se como referencia no Estado e Estados vizinhos.

Preocupada, constantemente, com a qualidade do ensino, a Instituição busca, em 1998, assessoria pedagógica, visando a integração das atividades de Coordenadores e Professores, da teoria e da prática. Inicia-se a explicitação do Projeto Pedagógico da FDCI.

Diante de novas demanda, e com base na rica experiência do curso noturno, também em 1999, a Faculdade amplia a sua atuação, instituindo o curso matutino.

No ano de 2000, um grande marco muda a história da FDCI. Concretiza-se um antigo sonho da comunidade educativa, dos alunos e também da sociedade cachoeirense. Através da Lei Municipal n° 4.955, de 18 de janeiro, a Instituição passa da condição de Autarquia a Fundação. Integrada as Faculdades de Ciências Contábeis e Administrativas, juntas, formam a Fundação Educacional Vale do Itapemirim - FEVIT.

Atendendo ao compromisso de uma educação comprometida e inovadora, a FDCI disponibilizou ao seu corpo docente e discente em 2001 um moderno e equipado Laboratório de Informática. Neste mesmo ano, no dia 31 de outubro, inaugura o Juizado Especial Cível Adjunto, extensão do Fórum "Desembargador Horta de Araújo" que, junto com o Escritório Modelo, permite a articulação entre a teoria e a prática efetiva, constituindo-se, ambos, dessa forma, em um laboratório de direito processual por excelência.

Aliando a busca da excelência acadêmica ao bem estar e conforto de todo o seu quadro (discente, docente, funcionários) a FDCI lançou em 28 de junho de 2003 a pedra fundamental da nova sede da Faculdade de Direito de Cachoeiro, na localidade de Morro Grande. Um projeto arrojado, moderno que solidificará fisicamente o que a prática pedagógica vem demonstrando desde a fundação.

Demonstrando preocupação com a qualidade do ensino ofertado e atendendo às exigências da Lei 10.861 de 14 de abril de 2004, a FDCI constituiu a sua Comissão Própria de Avaliação (CPA), através da Portaria 007/2004, assegurando a participação de todos os segmentos da comunidade acadêmica e da sociedade civil organizada

No ano de 2005 a FDCI completou 40 anos de existência e tradição no ensino jurídico. Diversos eventos alusivos a data foram realizados. Em especial destaca-se o Culto Ecumênico presidido pelo Monsenhor Rômulo Sagotto e pelo Pastor Victor Hugo Mendes de Sá, momento em que direção, professores, alunos, funcionários, egressos e autoridades renderam graças pela caminhada e realizações de sucesso da Instituição. O evento culminou com um farto café da manhã servido a todos os presentes.

Em 2006 a FDCI e toda a comunidade acadêmica enlutou-se com a perda inesperada do Vice-Diretor e Professor Alício franco, que por 28 anos se dedicou ao ensino jurídico na Instituição. Várias homenagens foram prestadas, inclusive o lançamento de uma coletânea de textos "Concurso de Textos Professor Alício Franco", selecionados através de concursos - realizados anualmente pela Biblioteca da FDCI, ao longo dos últimos sete anos - cujas bancas de avaliação eram presididas pelo Ilustre Professor Alício Franco.

Em 2007 um novo marco muda o rumo da história da FDCI. No dia 12 de fevereiro, a Instituição recebe os seus alunos em sua nova sede, localizada em Morro Grande. Modernidade e conforto, aliado a um novo projeto pedagógico impulsionam uma história de 42 anos de sucesso da FDCI.

  

  

Atualmente, algumas ações socioambientais são desenvolvidas como o projeto "Reciclar" (que envolve a coleta seletiva do lixo), o projeto "Colabore com a Limpeza" (Trabalha a conscientização para o uso correto dos materiais higiênicos) o projeto "Preservando o Meio Ambiente" (com distribuição de sacolas oxibiodegradáveis pela Biblioteca e Livraria para o transporte de livros), o "Jus Social" (com atendimento gratuito a população menos favorecida), a "Semana Nacional do Livro e da Biblioteca" (que integra a comunidade acadêmica com a sociedade através da arte e da cultura), dentre outras.

A FDCI tem firmado parcerias e proporcionado aos seus alunos e professores oportunidades para aliar o conhecimento teórico à prática, desmistificando a idéia de que os Tribunais Superiores e o direito aplicado em outros países estão distantes da realidade local.

Visitas ao Conselho Federal da OAB, ao Superior Tribunal de Justiça, ao Supremo Tribunal Federal, ao Congresso Nacional e parcerias como a firmada com a Faculdade de Direito "Robert H. MacKinney" da Indiana University School of Law, no Estado de Indiana, Estados Unidos da América são algumas oportunidades dadas à comunidade acadêmica. Nesta última, alguns alunos e professores, participaram em 2012, de um intercâmbio com a finalidade de conhecer o sistema jurídico norte-americano e realizar visitas técnicas a Escritórios de Advocacia, Senado Estadual, Corte Suprema Estadual e afins.

A FDCI, conhecida por sua tradição é uma Faculdade que conquistou credibilidade e respeito. Prezando pela excelência na arte de ensinar Direito, conseguiu seu reconhecimento renovado pela avaliação institucional do MEC no ano de 2012, obtendo nota 4 dos 5 pontos possíveis.

Também reconhecida como a Instituição com alto índice de aprovação no Exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), a FDCI é a faculdade que mais aprova no Sul do Estado, sendo que parte de seus alunos obtêm aprovação estando ainda como alunos, no 5º ano.

Isso ocorre devido a qualidade do ensino, já que os professores possuem titulação de Doutores, Mestres e Especialistas, sendo que 65% são ex-alunos.